Pular para o conteúdo principal

Cuba em 1959

A renda per capita era quase o dobro da observada na América Latina, os médicos por mil habitantes e a mortalidade infantil eram comparáveis com os números da Europa Ocidental. Tudo isso antes da revolução.
A fonte é The Road Not Taken: Pre-revolutionary Cuban Living Standards in Comparative Perspective (versão preliminar aqui), no mais recente número do Journal of Economic History.*
Os autores toparam o desafio, muito barra pesada, de estimar o PIB de Cuba na primeira metade do século XX. Em 1925, o país tinha uma renda per capita de  80% da Europa e, em 1955, era comparável com  Argentina, Uruguai e Itália. Atualmente, os autores estimam que o consumo em Cuba é 72% do que era em 1955! 
Enfim, Castro pegou um país que - mesmo após décadas de baixo crescimento- ficava relativamente bem na foto e criou uma catástrofe econômica. 
Um nota: o fato de, mesmo com uma economia disfuncional, Cuba conseguir ótimos indicadores de saúde tem um significado importante. Mostra a incompetência total do restante das Américas em prover o mínimo de saúde pública.
(Meus outros post sobre Cuba estão aqui )

* Aproveite que você está com esse volume do  JEH e veja que tem uma resenha bem positiva de Living Standards in Latin America, o livro com um artigo do Nogueról, Shikida e deste que vos tecla.

Comentários

kleber sernik disse…
Mas tem uma coisa inigualavel que Cuba fornece a todo o mundo em geral e AL em particular: um mau exemplo.


Abracao
Ramon disse…
Grande Leo, só faltou dizer que em educação também dão um baile nos países da AL (OK, estavam bem mas melhoraram muito). Isso também mostra que a moçada que acha que "educação resolve tudo", tão de moda nos anos tucanos, se especializa em vender ar. Abração.
Grande Ramon,
Tá, mas educação já é mais complicado avaliar do que a saude. (Mas e eu me surpreendi ao assistir programas de ensino de ingles na tv local em Havana). Alem disso, as ditaduras costumam melhorar o ensino ( o Vargas, me conta o Thomas Kang, é a exceção).
Mas eu admito que - seja como for- tb é uma vergonha para a AL que, mesmo com um economia toda torta, Cuba tenha conseguido alfabetizar toda a garotada.
Fabian disse…
Oi Leonardo,

mas o fato de Cuba ser uma ditadura atroz antes de Fidel não conta nada na análise?
Nem eu nem os autores afirmamos que Cuba era o paraíso antes da revolucao.
(Na boa, chutando, eu acho que mesmo sem a revolucao, Cuba nao seria muito melhor ou muito pior. Uma Republica Dominicana melhorada, talvez.)
F. Arranhaponte disse…
Já vi um dado mostrando que a mortalidade infantil de Cuba era a menor da América Latina, menor disparado, se não me engano, em 1960.Quer dizer, mesmo a saúde já era boa relativamente. Acho que o que provavelmente sobressai mais da revolução para cá é a educação. Posso até tentar achar essa tabela da mortalidade infantil na AL em 1960. Vai dar um certo trabalho, mas devo conseguir achar.
F. Arranhaponte disse…
Aliás, está lá no trabalho, mortalidade infantil de 33 de Cuba praticamente a mesma da Europa, com 32, e três vezes menor que a média da AL, de 105 - e isso em 1955! E tem lá também taxa de alfabetização de 79%, contra 58% da AL, e 98% e 99% respectivamente de Europa e Estados Unidos. Por essa tabelinha vê-se que Cuba era muito mais desenvolvida que a média da América Latina. Cuba tem sabidamente uma classe empresarial, exilada nos EUA, bastante dinâmica, provavelmente bem mais dinâmica que a média da AL. Já li que é o, ou um dos grupos "étnicos" de maior renda per capita nos EUA (ok, a maior migração foi da burguesia, mas, mesmo assim...)Acho que hoje, supondo uma história não-revolucionária acidentada na média da AL, Cuba seria bem mais que uma República Dominicana
robson ceron disse…
muito séria esta fonte: uma "estimativa" do PIB de Cuba, feita por inimigos declarados do processo que Cuba passa desde 1959. Estou completamente convencido dos dados.
disse…
Cuba é o melhor país do mundo, talvez um pouco atrás da Coréia do Norte. Não sei como só os petistas veem isso e todo o resto do PLANETA não vê isso.
Anônimo disse…
"Isso também mostra que a moçada que acha que "educação resolve tudo", tão de moda nos anos tucanos, se especializa em vender ar"

não resolve tudo, mas pelo menos serviria para, num país democrático, escolher um governo melhor que esse lixo que nos governa (sem querer dizer que tucanos são melhores, na nossa república de bananas não existe partido, existe turma, bloco, quadrilha)
Bruno disse…
Para elucidar debate sobre a educação:

http://livraria.folha.com.br/catalogo/1023526/a-vantagem-academica-de-cuba
George disse…
Parabéns Leonardo por seu blog. Ele é adoravel.
Sugiro ler o livro: Fidel, o tirano mais amadodo mundo, publicado pela editora Leya.
Anônimo disse…
Há que ver Cuba e República Dominicana era demograficamente bem diferentes, Cuba tinha uma população branca muito grande, maior que a Brasileira com certeza. Já a Republica Dominicana se assemelha mais com a Bahia, que é uma das partes menos europeias do Brasil.

Postagens mais visitadas deste blog

A regra dos dois desvios

Ao que parece, a regra será a minha maior (e única) contribuição ao Saber Universal. Eu a reproduzi no verbete "Brigas, críticas e debates" do meu magnum opus "Manual de sobrevivência na universidade: da graduação ao pós-doutorado" ( Atualização 2017: O livro está fora do ar porque uma segunda edição, expandida, será publicada em breve). Aí vai:

" "Nunca brigue se o adversário estiver a mais de dois desvios padrãode você em qualquer dimensão: conhecimento, ideologia, inteligência ou porte físico." Se você não sabe o que é desvio padrão, nenhum problema. Traduzindo: nunca brigue se o adversário for muito melhor ou pior do que você em qualquer dimensão: conhecimento, ideologia, inteligência ou porte físico. Se o adversário é muito mais inteligente ou conhece muito melhor o assunto, ouça-o com atenção, faça as perguntas relevantes e aprenda. Não é vergonha. Agora, se o sujeito é burro ou ignorante no assunto, o melhor é desconsiderar. Afinal, qual é a…

Colistete e o atraso educacional brasileiro

Ficou ótima a matéria da Revista Piauí com o perfil do Renato Colistete e sobre sua tese de livre-docência (pdf).
Ele é um pesquisador sensacional, gente boa e orientador de 9 entre 10 dos novos pesquisadores em histórica econômica. Já estava no tempo de ele ter reconhecimento de um público mais amplo.
Aproveite e leia o seu blog . Quando a tese estiver on-line, eu aviso.

Cuba é mais rica que o Brasil?

Um texto da internet afirma (não vou incluir o link):
"O povo daquela ilha rochosa bloqueada é mais rico que o povo do continente Brasil. Essa é uma realidade chocante e geralmente desconhecida." O autor recorre aos dados do World Bank que realmente mostram Cuba com um PIB per capita (PPP)  de US$20611 contra US$ 15893 do Brasil.
Obviamente essa estimativa está furada. É tão furada que a ONU - ao calcular o IDH- estimou outro valor que até os órgãos oficiais de Cuba acharam mais razoável:
The 2013 HDI value published in the 2014 Human Development Report was based on miscalculated GNI per capita in 2011 PPP dollars, as published in the World Bank (2014). A more realistic value, based on the model developed by HDRO and verified and accepted by Cuba’s National Statistics Office, is $7,222. The corresponding 2013 HDI value is 0.759 and the rank is 69th. A mesma fonte coloca o Brasil como tendo renda per capita de US$ 15175. Ou seja, Cuba tem a metade da renda per capita brasilei…