Pular para o conteúdo principal

Lei Seca e o protecionismo brasileiro

Segundo a tese Bootleggers and Baptists (B&B), uma regulação é implementada quando dois grupos aparentemente opostos a apoiam. De um lado, estão os bem-intencionados que querem impedir um comportamento; de outro, os que ganharão com a regulação. O exemplo inspirador da tese  é a Lei Seca. Religiosos e traficantes de bebida se juntaram para banir o álcool. Ambos ganharam com a regulação e quem perdeu foi o bebedor americano.
O protecionismo no Brasil é um bom exemplo de B&B. Economistas desenvolvimentistas e políticos - talvez tão sinceros quando os batistas- desejam "o adensamento das cadeias produtivas", "a proteção do emprego nacional", "a defesa dos setores de alto valor adicionado" e outros clichês. Acreditam que assim a economia crescerá e a desigualdade cairá. Já empresários e políticos rent-seekers fazem coro, fingindo nacionalismo, mas sabendo que vão ter lucros extraordinários com a proteção.
A Lei Seca foi o fracasso dos que defendiam a abstinência alcoólica. Nunca se bebeu tanto e o crime organizado se consolidou.  Os desejos dos desenvolvimentistas também são tiros no pé. Querendo garantir crescimento e igualdade, acabam gerando ineficiência, estagnação,  corrupção e desigualdade. Empresários e políticos corruptos ganham; o trabalhador perde.

Comentários

Bernardo Huanca Guevara disse…
A operação “Carne Fraca” que prejudicou a cadeia do gado no Brasil, "encurralando" nossos rebanhos. Foi sucedida por outro golpe à nossa competitividade com a operação “Águas Claras” que levou para cadeia toda a cúpula da CBDA (Confederação Brasileira de Desportes Aquáticos). A vítima foram nossos Campeões Nacionais.
Com tal açodamento dos tiras, paira uma incerteza sobre a participação do Brasil na Copa do Mundo de Natação, que ocorrerá na Hungria entre 10 e 25 de outubro.
Campeões Nacionais como César Cielo, Joana Maranhão e Poliana Okimoto, saem prejudicados com tal açodamento da polícia... Enquanto a PF tira competitividade da Petrobrás nas águas profundas, o mesmo sucede-se nas águas rasas...
Assistimos um golpe contra a cadeia do gado, agora é contra a cadeia do nado...tsc tsc.
Essa política de "adensamento das cadeias nacionais" que há 2 anos vem sendo promovido pela Polícia (são mais de 230 na cadeia, até agora) está afundando a competitividade das empresas brasileiras. "Era um mercado que o Brasil nadava de braçada..." diz o amigo pecuarista, Bumbai, em entrevista à Carta Capitania.

Postagens mais visitadas deste blog

A regra dos dois desvios

Ao que parece, a regra será a minha maior (e única) contribuição ao Saber Universal. Eu a reproduzi no verbete "Brigas, críticas e debates" do meu magnum opus "Manual de sobrevivência na universidade: da graduação ao pós-doutorado" ( Atualização 2017: O livro está fora do ar porque uma segunda edição, expandida, será publicada em breve). Aí vai:

" "Nunca brigue se o adversário estiver a mais de dois desvios padrãode você em qualquer dimensão: conhecimento, ideologia, inteligência ou porte físico." Se você não sabe o que é desvio padrão, nenhum problema. Traduzindo: nunca brigue se o adversário for muito melhor ou pior do que você em qualquer dimensão: conhecimento, ideologia, inteligência ou porte físico. Se o adversário é muito mais inteligente ou conhece muito melhor o assunto, ouça-o com atenção, faça as perguntas relevantes e aprenda. Não é vergonha. Agora, se o sujeito é burro ou ignorante no assunto, o melhor é desconsiderar. Afinal, qual é a…

Colistete e o atraso educacional brasileiro

Ficou ótima a matéria da Revista Piauí com o perfil do Renato Colistete e sobre sua tese de livre-docência (pdf).
Ele é um pesquisador sensacional, gente boa e orientador de 9 entre 10 dos novos pesquisadores em histórica econômica. Já estava no tempo de ele ter reconhecimento de um público mais amplo.
Aproveite e leia o seu blog . Quando a tese estiver on-line, eu aviso.

Cuba é mais rica que o Brasil?

Um texto da internet afirma (não vou incluir o link):
"O povo daquela ilha rochosa bloqueada é mais rico que o povo do continente Brasil. Essa é uma realidade chocante e geralmente desconhecida." O autor recorre aos dados do World Bank que realmente mostram Cuba com um PIB per capita (PPP)  de US$20611 contra US$ 15893 do Brasil.
Obviamente essa estimativa está furada. É tão furada que a ONU - ao calcular o IDH- estimou outro valor que até os órgãos oficiais de Cuba acharam mais razoável:
The 2013 HDI value published in the 2014 Human Development Report was based on miscalculated GNI per capita in 2011 PPP dollars, as published in the World Bank (2014). A more realistic value, based on the model developed by HDRO and verified and accepted by Cuba’s National Statistics Office, is $7,222. The corresponding 2013 HDI value is 0.759 and the rank is 69th. A mesma fonte coloca o Brasil como tendo renda per capita de US$ 15175. Ou seja, Cuba tem a metade da renda per capita brasilei…